Pilates na gestação

Hoje vamos falar sobre Pilates na gestação – em minhas duas gestações eu pratiquei Pilates, e me ajudou muito, principalmente com as dores. Atualmente estou com 29 semanas de gestação e pratico Pilates duas vezes por semana.  Importante ressaltar que eu já fazia esta atividade antes e que retomei na gravidez somente após liberação médica.

O texto abaixo sobre “Pilates na fase gestacional” é do Fisioterapeuta Alan Nascimento – Alan muito obrigada pelo cuidado conosco e por partilhar sua experiência com a gente aqui no blog.

PILATES NA FASE GESTACIONAL

“Durante o período de gestação, o corpo de uma mulher passa por diversas mudanças físicas e hormonais e essas mudanças podem gerar dores e desconfortos para a mãe.

Nos exercícios de pilates em si, não é preciso fazer muitos ajustes, você pode dar preferência por exercícios que trabalham as áreas do corpo que são importantes para esse período.

Importante lembrar que não existem exercícios proibidos, apenas alguns que não são tão recomendados pela posição e por poder causar desconforto.

Lembrando também que a mãe precisa ter um diálogo com instrutor de pilates para adequar os exercícios para parto normal ou cesária.

Com essas informações podemos dividir em períodos.

  • Primeiro trimestre: intensos sintomas, além do peso e o aumento das mamas e vontade de urinar.
  • Segundo trimestre: o centro de gravidade começa a se deslocar para frente com o aumento da barriga, e consequentemente a lordose aumenta e pode vir a ocasionar dores nas costas.
  • Terceiro trimestre: os sintomas se intensificam e pode acontecer uma dificuldade para respirar, pela localização do bebê perto das costelas. A mulher começa a ficar mais cansada e o centro de gravidade desloca ainda mais para frente, além disso os ligamentos da pelve ficam distendidos.

Com esta base o Pilates deve ser aplicado com movimentos retroversão e anteversão e principalmente sentada em uma superfície móvel como uma bola.

É importante também lembrar que a musculatura do assoalho pélvico e os adutores devem ser trabalhados durante os 3 trimestres, com uma contração leve e um relaxamento da musculatura.

As vezes lembramos apenas de trabalhar  musculatura do assoalho pélvico que precisa ser forte e também com mobilidade, para poder dilatar e ter flexibilidade para não romper durante o trabalho de parto. Mas, não podemos esquecer de trabalhar às outras estruturas que vão ajudar a mãe no pós parto, que seriam:

  • Fortalecer membros superiores e cervical
  • Fortalecer membros inferiores
  • Relembrar a forma correta de segurar ou colocar um bebê em sua cama ou berço.”
By Alan Nascimento – Fisioterapeuta

Aqui estou eu

ronz5561